Saturday, September 16, 2006

a night at the opera

Limeira recebeu nesta semana a ópera Carmen do francês Georges Bizet.
Fazendo uma rápida pesquisa na minha mente, esta foi a primeira ópera que assisti assim, ao vivo. Carmen foi apresentada pela Cia Ópera São Paulo e pela Orquestra Sinfônica de Limeira. Perdi o final da apresentação, mas mesmo assim foi uma boa nova experiência.
Mas como sou mais pop, apresento para você Carma de Bizê, de Mathilda Kóvak e Betti Albano.

Bizê era uma mulher
Assim muito blasée
Que tinha como carma
Ser atriz de TV

Ela queria Shakespeare
Gui de Maupassant
Mas tudo o que lhe deram
Foi Glória Magadan

Bizê virou um mito
Estrela da cidade
Mas, se índio quer apito,
Bizê, sobriedade

Ah, como ela queria
Contracenar com Olivier
Mas não era esse o carma
O carma de Bizê

Então, pediu arrego
Cansada da TV
Mas só conseguiu emprego
Em comercial de bidê!


Esta canção genial está no disco M.A.H.A.T.M.A.T.H.I.L.D.A a evolução da minha espécie, que é distribuido pela Tratore.
Kóvak também é parceira de Luís Capucho.
E este grande compositor disponibilizou uns vídeos caseiros no youtube.
Dá uma olhada em A expressão da boca


Comments:
obrigado, shiraga, valeu sua força.
assim que conseguir mp3 do "vc é lixo", te mando..rs
 
muito boa essa letra hã. engraçadona.
 
Grande Fabio, mestre-garimpeiro dessas maluquices. Não sei porque esse cara me lembrou o Zeca Baleiro, com essa quase prosa talentosa e despretensiosa. Grande abraço. Aguardo uma mesa de bar, pois precisamos definir se Dylan ainda é o nosso Deus Todo Poderoso, ou se, suprema blasfêmia, teria ficado por demis comercial.
 
Cara, já disseram que o Capucho tinha inflência de Dylan, o Wado diz que ele é o Lou Reed brasileiro, você lembra de Zeca. Luis Capucho é um misto disso tudo e um pouco mais. O cara é foda.
 
Post a Comment



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?