Monday, November 17, 2008

4 anos é muito tempo

Faz quatro anos que eu voltei para o Brasil depois de uma longa temporada vivendo um vai-e-vem doido de Brasil - Japão - Brasil - Japão - Brasil - Japão - Brasil - Inglaterra - Brasil.
Eu não acredito como o tempo passou rápido, e principalmente como as pedras rolaram para mim do lado de cá do oceano. Sim, porque eu me lembro bem do meu amigo e boss Clenio perguntando o que é que eu faria em Limeira. Eu até concordava com ele, mas eu precisava muito voltar para casa, respirar um pouco aqui, curtir a família e os amigos. Não estava nem um pouco empolgado em renovar o visto por lá, passar por toda aquela burocracia, pagar uma nota preta e ainda correr o risco de ter o visto negado. Voltei. E já se passaram quatro anos!

Seria possível resumir estes quatro anos em um post objetivo!?
Pisei em uma faculdade e isso foi de extrema importância para mim. Estudar é legal quando você está no espírito. E eu gosto muito disso, sentar e assistir as aulas era um grande prazer. Mas o mais importante foi conhecer muita gente que hoje tem um grande peso na minha vida. Grandes amigos de hoje eu conheci através da faculdade.
Trombar jornalistas e intelectuais de Limeira que me ensinaram e continuam me ensinando um tanto não tem preço. Eu sento à mesa com estes caras e fico ali ouvindo. É o meu jeito de participar. Ouvindo. Aprendendo. A não ser que o papo seja sobre música ou algo do tipo. Mas às vezes eu simplesmente não quero falar nada, quero tomar uma cerveja e ficar ali, people-watching, ouvindo as pessoas.
Começar um trabalho no Brasil depois de quase dez anos sem ter a carteira de trabalho assinada também foi interessante e é o que me segura aqui até hoje.
A fase da Oficina de Cinema com o Ricardo Picchi foi enriquecedora e ajudar na produção de um curta-metragem com o pessoal do Nada Audiovisual foi surreal.
Conhecer alguns figuras neste meio tempo também foi muito bacana, sejam os jornalistas de Limeira, os escritores, intelectuais, poetas, figuras de outras cidades, rever grandes amigos, encontrar alguém que eu já conhecia há anos foi certamente algo que me deu uma ótima energia para começar esta nova fase.
Eu penso em fazer um balanço disso tudo um dia. Um dia. Foram muitos dias interessantes, muitas conversas bacanas, um mar de sentimentos nestes quatro anos.
Sim, quatro anos é muito tempo. E eu que não conseguia parar em um só lugar por mais de um ano, fiquei aqui vendo amigos partirem, pessoas se despedindo, casando, separando, tendo filhos, viajando... Meu Deus, uma mudança urge!

Comments:
why?
 
quatro anos realmente e muito tempo. eu nao sei se teria coragem para comecar de sair do brasil do nada assim igual voce e minha mae. mais nao deixa de ser uma coragem fora do comum tanto de sair quanto de voltar sem emprego sem saber o que vai encontrar ai na volta...
 
fábio, meu amigo, sei EXATAMENTE como é o peso da desesperança que essa burocracia de vistos (e a grana preta e o medo de ser negado)... por isso mesmo estou tomando minhas providências. meu visto aqui vence dia 31 de dezembro, estarei saindo fora antes disso, vou passar pelo brasil, mas não por muito tempo. ainda não sei ao certo sobre o futuro, mas tudo bem, gosto assim, página em branco e um mar de possibilidades. =)
 
4 anos é tempo pra chuchu. eu lembro do seus posts ainda no começo qdo voltou para o Brasil e tudo era mto incerto. O ser humano é bem confuso, qdo a nossa vida é uma mar de emoções a gente quer um pouco de estabilidade, qdo td é certo então a gente quer de novo aquela sensação de insegurança e frio na barriga. Vai entender.
 
Pois é,Fabiao, para mim são 5 anos e meio de loucura e mudanças de valores. Mas, cara, nunca mais toquei uma gaita, como naquelas épocas que tinha você, o Cairao, Willian, e a galera. Digo o surreal Lemon. Sinto saudades, na verdade sempre senti. Um abração Fabiao
 
Post a Comment



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?